LEMC - Laboratório Especial Microbiologia Clínica

Testes de Sensibilidade e Detecção de Mecanismos de Resistência

    A equipe LEMC/ALERTA realiza testes fenotípicos para determinação da sensibilidade aos antimicrobianos e também desenvolve pesquisa na detecção e caracterização de mecanismos de resistência em diferentes espécies bacterianas. O conhecimento destes mecanismos é fundamental para o desenvolvimento de novas drogas antimicrobianas. Além disso, a caracterização da aquisição, da evolução e da disseminação dos genes de resistência é importante para medidas e ações eficientes de controle.

Fenotípicos

    A realização do antibiograma é o passo inicial para a compreensão do fenótipo e dos possíveis mecanismos de resistência para determinados patógenos bacterianos. As metodologias utilizadas atualmente compreendem testes fenotípicos qualitativos, avaliando o halo de inibição (disco-difusão) e testes quantitativos que avaliam a concentração inibitória mínima (CIM), como microdiluição em caldo, ágar diluição e Etest® para os diversos antimicrobianos recomendados pelo CLSI.

    Em bactérias Gram-negativas os testes fenotípicos permitem a detecção de:

    ·  Beta- lactamases de espectro extendido (ESBL);

    ·  Beta- lactamases cromossômicas induzíveis (AmpC);

    ·  Metalo-beta-lactamases;

    ·  Resistência aos carbapenêmicos (KPC).

    Em Gram-positivos os testes fenotípicos permitem detectar a resistência de:

    ·  Staphylococcus spp aos beta-lactâmicos, glicopepídeos e macrolídeos (D-test);

    ·  Enterococcus spp aos glicopeptídeos.

    Os resultados dos testes de sensibilidade são sempre realizados e reportados de acordo com as recomendações do CLSI, para cada sítio específico de infecção. Além da realização do antibiograma dos isolados bacterianos, a equipe do LEMC/Alerta auxilia na interpretação dos testes de sensibilidade e como reportar adequadamente os resultados encontrados.

Genotípicos

    Com a utilização de técnicas de biologia molecular é possível identificar determinantes de resistência previamente descritos na literatura, bem como caracterizar novos mecanismos a partir de isolados bacterianos fenotipicamente resistentes.

Dentre as linhas de pesquisa desenvolvidas pela equipe LEMC/ALERTA estão:

    ·  Detecção de genes que codificam as ß-lactamases;

    ·  Avaliação das propriedades protéicas das ß-lactamases, tais como determinação do ponto isoelétrico, construção de plasmídeos para hiper-expressão, purificação enzimática, determinação e avaliação das propriedades cinéticas (Km, kcat);

    ·  Detecção de genes que codificam resistência aos aminoglicosídeos;

    ·  Avaliação da permeabilidade bacteriana aos carbapenêmicos;

    ·  Detecção de mecanismos envolvidos na resistência às quinolonas;

    ·  Detecção da resistência aos glicopeptídeos.

    Outra importante linha desenvolvida no ALERTA, com expertise adquirida no Bristol Centre for Antimicrobial Research and Evaluation (BCARE) do Departamento de Patologia e Microbiologia da University of Bristol, é a avaliação do contexto genético das regiões adjacentes aos genes de resistência, possibilitando a análise dos elementos genéticos responsáveis pela mobilização e disseminação horizontal destes determinantes.

    O estudo da resistência bacteriana faz parte de diversas linhas de pesquisa em nosso laboratório, e já originaram inúmeras publicações nacionais e internacionais.