LEMC - Laboratório Especial Microbiologia Clínica

Tipagem Molecular com Finalidade Epidemiológica

        A tipagem molecular pode ser definida como o uso de técnicas de biologia molecular para caracterizar/discriminar cepas bacterianas de uma mesma espécie. O LEMC oferece este serviço, através da realização de duas técnicas: Pulsed Field Gel Electrophoresis (PFGE) e Ribotipagem Automatizada. Ambas apresentam alto poder discriminatório, tipabilidade e reprodutibilidade, tanto para bactérias Gram-negativas, quanto Gram-positivas.

 

PFGE

 

        Nesta técnica de tipagem, o DNA cromossomal é extraído e fixado em agarose. O princípio do método se baseia na presença de sítios de restrição localizados na molécula de DNA. Enzimas de restrição reconhecem estes sítios e funcionam como tesouras, cortando o DNA em fragmentos grandes. O número de fragmentos varia de uma cepa para outra. Estes fragmentos são separados através de uma eletroforese em gel de agarose em um campo pulsante.

        A técnica de PFGE é considerada padrão ouro para tipagem molecular.

 

Ribotipagem

 

        A ribotipagem automatizada apresenta poderes discriminatórios bem similares aos da técnica de PFGE, além de apresentar a grande vantagem de ser um método automatizado e bastante rápido. A duração da técnica é de oito horas, a partir de uma colônia isolada.

        O aparelho de ribotipagem automatizada (RiboprinterÒ, Qualicon - Dupont, EUA) do LEMC é um dos únicos da América Latina. A identificação do perfil molecular pela técnica de ribotipagem é realizada pela análise das sequências dos genes 16S e 23S presentes em todas as bactérias. Uma parte destas sequências é bastante conservada entre as espécies bacterianas, permitindo que esta técnica possua também finalidades taxonômicas.

        Pela ribotipagem automatizada é possível identificar em poucas horas sorogrupos e espécies bacterianas, como por exemplo, as do gênero Salmonella, muito importantes na indústria alimentícia. Também é possível avaliar a disseminação intra e inter-hospitalar de bactérias multirresistentes aos antimicrobianos, além de detectar surtos causados por estas bactérias.

        O LEMC, como laboratório de referência, vem colaborando, prestando serviços, estudando e esclarecendo a dinâmica e a distribuição de diferentes patógenos, dentro e fora do ambiente hospitalar.